SOHLETRAS


NOTURNO

 pjm

                                                   Então,

                                                   Eu apanhei a lua nova

                                                   E a acomodei entre a concha

                                                   Das minhas mãos

                                                   Porém,

                                                   Pelos vãos dos dedos

                                                   Ela escapou para o infinito

                                                   Feito um grito

                                                   Que d’alma quebra

                                                   Tão pedra como um soluço

                                                   Oh, solidão

                                                   Tu não me assustas!

 



Escrito por pjmarinho às 17h02
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PRIMAVERA

 pjm

Por entre as folhas novas, a pequena criatura passeia coalhada de primavera.



Escrito por pjmarinho às 16h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PSEUDOFRUTOS

 pjm

 

I. GUANABARA

 

O nevoeiro retarda o lume

Intensa é a maresia

A barcaça cruza a baía.

 

II. JARDIM DA INFÂNCIA

 

Cavalo suado

Galopando pelo prado

Ah, como eu quisera descrecer!

 

III. PEDAÇOS DE MIM

 

Dos olhos d’água

Brotam lágrimas

Mansas...

 

IV. SAUDADES

 

Por detrás do vidro polido

Seu sorriso continua

Flutuando na fotografia.

 

V. EPITÁFIO

 

Um homem de luto

Sob a garoa

O tempo voa.

 

VI. SEMEADURA

 

Entre as pedras

O Poeta semeia

Suas letras.

 

VII. CAI O PANO

 

O Artista pede licença

E deixa a cena.



Escrito por pjmarinho às 15h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




YARA

 pjm

Por acaso é esse o rio

No qual Narciso se olhou?

 

É esse o rio

No qual Afrodite se banhou?

 

É esse o rio

Onde tu fazes, além da curva,

a tua morada

E de lá da gruta encantada

Se põe a cantar?

 

Serias tu a deidade

Artesã da felicidade

Cujo cântico melífluo

a mente humana atiça

E o espírito enfeitiça

A ponto de se abobar?

 

Seria essa cantiga um convite

Um mero palpite

Ou um desvairar?

 

Mas, o que me importam tais alternativas

Se com isso me cativas

E para o teu leito de diva

Me atrai?!

 

Por certo,

Marilia não és

Nem Dirceu eu sou

Mas se és Yara

Me chama que eu vou.



Escrito por pjmarinho às 09h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Homem
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  AMIGOS DO LIVRO
  CREPÚSCULO DOS DEUSES
  ESCRITORA CAIPIRA
  NA PONTA DO LÁPIS
  VILA ACONCHEGO
  DICAS CULTURAIS
  AREIA VERMELHA
  VIDAS MARCADAS
  MOMENTOS SÃO... IGUAIS AQUELES...
  FALANDO DE AMOR
  LEIO BONS LIVROS
  QUASE HISTÓRIAS DE AMOR
  HANDRIK WORLD
Votação
  Dê uma nota para meu blog



O que é isto?